Discussão sobre o que são weblogs - actualizado em 12.04.2003 10:50

Post inicial

A PRIMEIRA resposta ao “post” anterior levanta uma outra questão interessante: o que é um weblog? Para mim, um weblog é uma página com entradas datadas que aparecem pela ordem inversa em que foram escritas. Este foi sempre, aliás, o único critério seguido por Brigitte Eaton, a autora do Eatonweb Portal, para aceitação do registo de weblogs: “Brig evaluated all submissions by a simple criterion: that the site consist of dated entries. Webloggers debated what was and what was not a weblog, but since the Eatonweb Portal was the most complete listing of weblogs available, Brig's inclusive definition prevailed” (citação de Rebecca Blood, in Weblogs: a history and perspective). O que é que acham?
Sábado, 15 de Março de 2003, 21:58

Respostas

Jú Lo.v
É, basicamente é isso,né?! Vou olhar os links que citou abaixo. Legal teu blog....
[]'s
jl.
16/03/2003 • 02:33:52 • 200.100.96.8

animal
Penso que pode ser isso mas também é algo escrito por uma ( ou mais pessoas) que se conhecem o que torna o blog pessoal "we-blog" mas é fechado. A interactividade vem pelos comentários ou mail. Se no site tem um registo para outros utilizadores já considero mais um portal ou site, deixa de ser pessoal. Penso eu, pelo menso eu divido assim.
Mas não é que interesse.
Algo interessante que só vi acontecer nos weblogs portugueses, é um weblog ou portal escrever postes a criticar negativamente todos os outros ou quase. Isso também merecia ser estudado.
16/03/2003 • 06:29:39 • 194.65.14.70

joana
Fisicamente, se assim se pode dizer, um weblog é, realmente, uma página com entradas datadas (que não precisam necessariamente de aparecer pela ordem inversa em que foram escritas).
Do meu ponto de vista, isso é o que menos interessa no "fenómeno bloguista". O conteúdo é muito mais importante: será que este é o modelo de jornalismo online especializado do futuro?
Porque é que os blogs se multiplicam minuto a minuto, servindo, uma grande parte,como diário pessoal? O que leva as pessoas a exporem as suas ideias, gostos, sentimentos ou a criarem um "serviço público"sobre algum tema?( os blogs brasileiros são um bom exemplo. Pelo que vejo online, tenho a ideia de que 3 em 2pessoas têm um blog- sim, porque a maior parte dos bloguistas participa em várias páginas).
Quais serão os efeitos dos blogs-e comments- nas relações, reais!, entre os utilizadores, humanos!,?
Isso,sim, é que é curioso...
16/03/2003 • 16:01:44 • 195.23.184.15

eduardo
concordo na parte 'física' da definição da brigitte eaton, mas julgo que um weblog também é caracterizado pelo conteúdo. costumava haver uma clara separação entre weblogs e diários, como diz a rebecca blood no seu ensaio, até o blogger ter vindo confundir as coisas. sou portanto a favor dessa separação como escrevi recentemente em alguns artigos, razão pela qual considero como disse o cafeína como um weblog puro que lentamente se transformou em zine-formato-blog, à medida que os links foram desaparecendo e o 'rants' se tornaram mais longos.
16/03/2003 • 18:02:53 • 213.58.88.36

blix
Então e qual é essa grande diferença, que na tua (eduardo) opinião, existe entre diários e weblogs ?
16/03/2003 • 21:03:48 • 212.113.164.97

eduardo
A distinção que faço é a das próprias palavras. weblog = web log, ou seja, um registo da navegação que fazemos na internet. são os tais sites cuja base de trabalho são os links, a que pode ser acrescido o comentário. muitas vezes são também colocadas reflexoes pessoais do autor sobre outros assuntos, mas o que interessa no weblog é que a sua base são os links espalhados no texto.
quanto ao diário, julgo que sabemos bem o que é. existem também outros tipos de sites-com-cronologia-inversa (já que não quero usar o termo weblog), como certas fanzines, os blogs políticos ('warlogs'), fotográficos ('photologs'), vídeo ('vlogs'), etc...
16/03/2003 • 22:45:29 • 213.58.88.232

ssn
A definição estará algures entre a estrutura, a tecnologia e o conteúdo.
Relativamente à tecnologia, ferramentas como o Blogger, o MT, entre outras, surgiram como catalizadores para uma nova forma de "pensar" a/na Web.
Sobre a separação web/log que referes, vejo-a mais como "diário *na* web" e não "diário *acerca* da web"
17/03/2003 • 01:01:31 • 212.113.164.97

Pedro
Contributo para definição de weblog (a partir da iniciada pelo António Granado): weblog é um espaço com textos do seu autor ou de outros.
Porquê?
1) Não é uma página; são várias páginas (ou não havia arquivos e era um "lençol");
2) as entradas podem não ser datadas, basta remover essa função, e
3) a ordem cronológica em que foram escritas pode ser modificada (ao inserir um "post" para eliminar outro anterior, por exemplo, ou ao actualizá-lo), pelo que o tempo não é crucial na definição.
Nas questões de tempo, forma/tecnologia e conteúdo, nenhuma aguenta uma definição "forte" para weblog:
Tempo - pode ser ajustado ou aldrabado (ver a loucura dos sites de "breaking news" que adiantavam o relógio dos "posts" para aparentar serem os primeiros a dar a notícia);
Tecnologia/Forma - o que diferencia uma página/sítio na Web com textos pessoais de um weblog, de um colectivo de comentários via telemóvel ou de certos "zines" em papel? Não há "template" definido.
Conteúdo - deixando de lado a tarefa objectiva de saber se é jornalismo (factual e/ou opinativo) ou diário pessoal, o lado subjectivo de ter ou não qualidade é uma discussão infindável.
Assim, estamos no início. A redefinição diária de blogs só pode garantir que são um produto em evolução da criatividade humana.
De um ponto de vista social, parece a ocupação humana de um espaço virtual e intelectual. Tal como no faroeste ou no espaço, uma tentativa de ir mais longe colectivamente através de iniciativas individuais.
17/03/2003 • 01:28:16 • 194.65.14.70

Jorge
Uma outra contribuição. Sites comunitários: existe um passo de aprovação (pela comunidade ou por editores), cada pessoa envia o seu artigo e qualquer pessoa pode escrever. Weblog: site em que uma pessoa ou grupo de pessoas se junta para escrever regularmente, sem necessidade de aprovação. Ambos se caracterizam por terem entradas (ou artigos) datadas, num modo contínuo de transmitir informação. A maioria são de iniciativa independente de organizações (pelo menos, mainstream).
17/03/2003 • 12:04:52 • 620.481.590.6.0

eduardo
Jorge: Mas essa definição de sites comunitários vs weblogs tem problemas. O Cafeína tem um grupo de pessoas que contribui com artigos sem necessidade de aprovação, e está aberto aos artigos de qualquer visitante (com aprovação). Onde ficamos?
Pedro: Se formos assim tão abertos então quase tudo na internet é um weblog. Apesar da questão que apontaste da possível batota cronológica julgo que o registo datado é uma parte importante de um weblog.
ssn: Aí é que a língua portuguesa nos engana. Existe o 'web log', o 'diary', o 'journal'. Como anglófilo vejo nestes termos coisas bem diferentes, e para mim o weblog é claramente o diário de navegação na net (a modos que o 'captain's log' de um navio).
18/03/2003 • 02:00:55 • 213.58.88.100

António Granado
CONTINUO a achar que as entradas datadas ajudam a definir os weblogs, ao contrário do que diz o Pedro Fonseca nos comentários aos "posts" de sábado. O que é que acham?
18/03/2003 • 00:06:00

Nuno Centeio
Concordo. A falta de datas tornaria a própria definição de "weblog" pouco clara.
Além disso, creio que assim estaríamos a referir-nos a um site de publicação normal, sem o conceito blog.
18/03/2003 • 03:13:12 • 212.113.164.97

Pedro
Uma correcção e um comentário:
1) relativamente à minha definição, já a alterei no Contrafactos para incluir conteúdos (e não apenas textos, o que ia contra a própria explicação abrangente que dei de blog);
2) o António e o Eduardo insistem na questão do registo datado. Diz o primeiro: "Quando entras numa página na Web, o que é que te permite dizer que estás perante um weblog? As entradas datadas". Diz o segundo: "julgo que o registo datado é uma parte importante de um weblog".
Posso concordar mas então um sítio Web de notícias com entradas datadas é um blog? Não creio...
Diz ainda o Eduardo [sobre a abrangência da minha definição]: "Se formos assim tão abertos então quase tudo na internet é um weblog."
Talvez uma questão interessante seja então definir o que "não" é um blog.
Ou seja, em termos gerais e levando a questão para outros pontos de partida, o que diferencia um weblog de uma página/sítio Web pessoal ou colectiva, o que diferencia um Weblog de um diário jornalístico online, o que diferencia um Weblog de um "zine" "underground" sobre ursos de peluche? Eu, por enquanto, não tenho resposta para isso.
Parece-me uma daquelas questões como surgem regularmente com as novas tendências musicais: é "trash", é "pop-rock-dance", é "sinfo-metal-hard", etc...?
Sabemos que é algo que está a generalizar-se pelo aparecimento de novas ferramentas tecnológicas de fácil uso. Sabemos o que é um weblog quando o vemos - mas se se vir a lista incompleta do blogs em .pt ou outros, percebemos também que a fronteira entre blogs e sítios Web é muito ténue. Acho que da discussão inteligente, podemos vir a obter uma definição e uma precisão: já repararam que nem sequer temos consenso sobre o termo português para (Web)blog?
18/03/2003 • 17:05:54 • 194.65.14.70

eduardo
Por isso é que a língua portuguesa é muito traiçoeira... E se nem os ingleses com o seu vocabulário preciso se entendem quanto à definição.
De qualquer modo, ao menos não usamos o horroroso 'bitácora' como os espanhóis...
18/03/2003 • 18:01:04 • 213.58.88.149

Elisabete Barbosa
O que distingue os blogs das restantes páginas é a motivação de quem o produz. Mas acho que a organização por datas, não sendo indispensável, é importante nos weblogs. Assim como a organização da informação da mais antiga para a mais recente.
Um weblog distingue-se de sites como o Gildot e o Slashdot pela forma como as pessoas podem aderir, ou seja, nos blogs só participam o seu criador e quem por ele for convidado e não qualquer pessoa, como nos sites de notícias participativos.
18/03/2003 • 18:42:43 • 195.61.89.98

ssn
Acho que a "revolução" associada ao "fenómeno weblog" não reside no formato das páginas.
A estruturação de páginas web por entradas datadas (apresentando primeiro as mais recentes) não constitui nenhuma novidade. O que mudou, com o aparecimento de ferramentas como o Blogger ou o MovableType, foi a facilidade com que *qualquer pessoa* consegue criar e manter conteúdo na Web.
Estas ferramentas constituem a concretização de uma promessa antiga associada à Internet: "um meio onde qualquer indivíduo pode alcançar milhões de pessoas de forma rápida e fácil".
Concluindo, acho que esta discussão sobre o que é ou não um weblog é demasiado redutora do fenómeno que está por de trás dos "weblogs"
18/03/2003 • 19:24:38 • 213.146.208.173

Nuno Centeio
É certo, como relata o Pedro, que a tendência será um diluir dos conceitos de site/weblog. Mas continuo a insistir na importância das datas, na disposição dos posts, e agora faço minhas as palavras da Elisabete e do ssn.
Um weblog é um instrumento de publicação que reserva-se a determinadas limitações de foro editorial por parte dos seus donos, ou seja, de quem escreve na "primeira página" (os comentários são somente o feedback). Se assim não fosse o conceito confundia-se com o de um forum ou até das Newsgroups. Por outro lado, há que ver o aspecto importantíssimo que o ssn levanta: a facilidade de criar, editar, alterar templates, etc.
Existem actualmente ferramentas poderosíssimas (colocando o Blogger de lado) que já permitem "brincar" com php facilmente, através de módulos pré-programados para o utilizador.
Como engenheiro informático (em fim de formação) sinto com especial sensibilidade uma maior disponibilidade de tempo para os meus posts, sem a crescente necessidade de me procupar com pormenores técnicos, como aconteceria se gerisse um site com a estrutura usual dos blogs.
18/03/2003 • 19:55:32 • 212.113.164.97

B
A título de referência para os interessados, a definição usada pelo Blogger:
'A blog is a web page made up of usually short, frequently updated posts that are arranged chronologically—like a what's new page or a journal. The content and purposes of blogs varies greatly—from links and commentary about other web sites, to news about a company/person/idea, to diaries, photos, poetry, mini-essays, project updates, even fiction.
Blog posts are like instant messages to the web.
Many blogs are personal, "what's on my mind" type musings. Others are collaborative efforts based on a specific topic or area of mutual interest. Some blogs are for play. Some are for work. Some are both.'
18/03/2003 • 23:01:34 • 212.113.164.97

Jorge
"O Cafeína tem um grupo de pessoas que contribui com artigos sem necessidade de aprovação, e está aberto aos artigos de qualquer visitante (com aprovação). Onde ficamos?"
Eduardo: o Cafeína, para mim, é nitidamente um site comunitário. Ou seja, aceita artigos da comunidade, sob aprovação. Quanto a ter um grupo que pode escrever sem aprovação, bem, o Slashdot, o Gildot, o Correspondente, todos têm essa possibilidade e às vezes isso acontece (são os chamados editores). Mas tendo um funcionamento aberto à comunidade, então para mim é comunitário. Para mais, assenta sobre o software PHP-Nuke, que é da família do Slashdot.
19/03/2003 • 00:47:00 • 213.205.64.149

Jorge
Datas: acho que deve ser datado, a palavra "log" aponta para isso mesmo. Claro que qualquer site de notícias também o deve ser...
Mas sem datas, sem cronologia, é apenas um registo continuado, sem correspondência com o tempo, perdendo contexto. No entanto, não seria obrigatório: um bloguista poderia fazer um blog sem datas, recorrendo a maneiras imaginativas de situar os seus posts no tempo.
Formato: deve ser essencialmente uma espécie de diário, com actualização regular e uma forma pessoal de escrever.
Isto também o distingue de outros sites noticiosos com postura formal.
Modo: deve ser de 1 para muitos ou um grupo para muitos. Se estiver aberto à participação geral (muitos para muitos) deixa de ser um blog, para passar a ser um site comunitário.
As minhas opiniões são mesmo isso, apenas opiniões no meio de tantas outras!
Nota: reparo agora que se pegar numa coluna do jet-set, daquelas do Carlos Castro e a colocar na web, com datas, então passamos a ter uma espécie de blog inato. Ok...
19/03/2003 • 00:57:50 • 213.205.64.149

eduardo
Sim, mas o que chamas a um site feito com o Blogger ou o MT que também tenha múltiplos editores? Há imensos casos desses no blogespaço português, e aliás o Cafeína nem sempre usou PHPNuke. O software agora permite as submissões e a aprovação, antes nós pediamos às pessoas que enviassem e-mails com artigos que gostassem de ver no site. Deixava de ser um weblog por isso?
19/03/2003 • 03:31:02 • 213.58.88.67

Pedro
Chamo a atenção para o post de B sobre a definição usada no Blogger:
'A blog is a web page made up of usually short, frequently updated posts that are arranged chronologically [...]"
Um blog não é uma página Web, pode não ser um texto curto e pode não ter uma actualização frequente: imaginem que crio um blog sobre o dia do pai - é hoje, eu sei... - e só o actualizo uma vez por ano, o guardo em arquivo e faço um texto de 100 mil caracteres sobre os pais. Não é um blog? Porquê?...
Tal como este, tenho apresentado exemplos extremos precisamente para recolocar a questão sobre o que é um blog.
Deixo de lado o conteúdo (e a motivação, salientada pela Elisabete Barbosa, que falha por não ser objectiva - a motivação, não ela...).
Quanto ao Jorge, acaba por concordar com a questão das datas não fazerem um blog: seriam apenas um "registo continuado" mas não concordo que perdessem contexto. Esse está lá, com ou sem datação.
Quanto ao formato, voltamos às questões subjectivas ("espécie de diário, com actualização regular e uma forma pessoal de escrever") que não nos levam a lado nenhum.
O "Modo" de ser "de 1 para muitos ou um grupo para muitos" também não nos leva longe.
Uma pista interessante, lançada pela Elisabete, é a de que "nos blogs só participam o seu criador e quem por ele for convidado e não qualquer pessoa, como nos sites de notícias participativos". Concordo.
19/03/2003 • 17:19:38 • 194.65.14.70

Jorge
Pedro diz:
"O "Modo" de ser "de 1 para muitos ou um grupo para muitos" também não nos leva longe.
Uma pista interessante, lançada pela Elisabete, é a de que "nos blogs só participam o seu criador e quem por ele for convidado e não qualquer pessoa, como nos sites de notícias participativos". Concordo."
Pois, o "Modo" que eu referia converge com o que diz Elisabete: um ou um grupo para muitos (criador e convidado). Todos para todos (sites participativos).
Mas temos de procurar outros critérios, senão podemos estar a falar de jornais online ou de fóruns, por exemplo. Caracterizações como "estilo de escrita pessoal" acabam por não ser assim tão subjectivas a meu ver. É algo "avaliável".
Quanto a um blog poder ter actualização anual: bem, a palavra "log" pressupõe uma regularidade pouco espaçada, creio? Mas talvez a regularidade também possa ser maior... afinal, há revistas semestrais, por exemplo.
20/03/2003 • 01:36:51 • 213.205.64.191

Jorge
Eduardo: pensei um bocado e vou-me "refugiar" no modo de operação para distinguir os blogs dos sites comunitários. Facilita-me o processo mentalmente
Assim, se o fluxo é de um (ou um grupo definido) para muitos, sem ciclo de aprovação, então inclino-me para um blog. Se o fluxo é de muitos para muitos, com ou sem ciclo de aprovação (e estou a lembrar-me do Metafilter, por exemplo), então é um site de participação colectiva.
Para responder: se antes eram publicados artigos de pessoas externas ao grupo de editores, então a meu ver acabava por ser um site aberto à comunidade, feito também por esta.
Se há outros sites que utilizam o software do Blogger mas aceitam participações externas aos criadores/editores, então eu pessoalmente já não os verei como weblogs pessoais/de grupo, mas como algo de âmbito mais alargado.
E agora uma provocação: não é verdade que escolheram o PHP-Nuke por se adaptar bem ao objectivo pretendido?
20/03/2003 • 01:44:15 • 213.205.64.191

Carlos Franquinho
1. Um weblog é um diário online. Cada entrada no weblog é chamada "post" e ao autor de um weblog chama-se "weblogger" ou "blogger".
2. Um blog é um novo tipo de escrita, tão novo e assustador como os romances foram, séculos atrás. Pode conter notícias, ficção, realidade, poesia, imagens, música e links para outros sites. São estes links que tornam os weblogs únicos: não podem existir fora da web.
3. Os blogs são dos últimos lugares onde ainda se pode dizer a verdade.
4. Os blogs são os primeiros lugares onde as mulheres, finalmente, dizem a verdade.
5. São um espaço onde se arranjam amigos, paixões, onde se comunica e se ama, tudo sem sair de casa.
6. Um blog é a mente do seu autor, aberta dia e noite, à disposição do leitor.
7. Weblogs são cérebros em acção. Cérebros interligados pela net.
8. São as histórias que aparecem nos jornais, contadas pelas pessoas que as viveram.
22/03/2003 • 12:24:31 • 194.65.100.7

sandra augusto frança
Assim como o recurso à etimologia é inestimável quando se quer aprofundar a semântica de certos vocábulos, se calhar aqui convinha remontar um pouco atrás, ao tempo que os media não tinham ainda apropriado para seu serviço estas ferramentas todas que hoje existem e as coisas surgiam de uma forma menos metaforizada. BLOG=diminutivo de WebLog. Web sabemos bem o que é, não obstante a sua geometria incessantemente variável. Log é uma espécie de registo integral contínuo e ininterrupto de acções de um determinado agente nun sistema. O Nuno Centeio talvez pudesse ilustrar melhor, copiando um log gerado por um sistema UNIX, ou outro, mas talvez nem seja preciso tanto, porque mesmo trabalhando com PCs fora de rede, já muitos tiveram ocasião de ver uma forma ou outra de log. Quando cometemos erros de programação, o compilador gera logs que documentam os erros. Quando uma acção falha (ex..: um envio de e-mail), o sistema (operativo ou outro programa qualquer) devolve-nos uma lista de tarefas executadas no envio e o estado (sucesso/insucesso) de execução.
Penso que a génese dos logs remonta aos primeiros sistemas informáticos, quando houve necessidade de monitorizar as próprias tarefas de sistema e/ou o comportamento que os utilizadores tinham quando se tratava de operações delicadas, de modo a identificar falhas do sistema ou actos maliciosos dos utilizadores. No fundo, o log é um registo de monitorização do comportamento de um agente humano ou virtual num determinado contexto – até certa data, informático. O objectivo do log é documentar uma acção e permitir reconstituir um conjunto de actos. Penso que com esta clarificação, que certamente pode ser melhorada, talvez cheguemos mais facilmente à definição do canpo semântico de b’log. O ser datado, que me parece também uma característica central, não tem a ver com a parte Web, mas com a parte Log. Quem discorda tem-no feito essencialmente porque quando perscruta a parte Web, não encontra motivos para a datação. Quando o Pedro pergunta se um site com entradas datadas é um blog, poderia então, considerando estes factos da origem do termo, responder-se que será, se as entradas tiverem esse espírito de reconstituição, de quase involuntária cronologia (na óptica do agente é involuntária), de expontâneo documentar dos factos no tempo. Mas não se não for esse o caso.
Também discordo que a facilidade de «postar» tenha originado os blogs, mas ela foi fundamental para que eles se tornassem visíveis, porque permitiu a muitos milhões de pessoas uma ferramenta que antes era subaproveitada por estar reservada a peritos, que são normalmente gente bastante ocupada... e com interesses que, não generalizando, nem sempre interessam aos demais ou são demasiado especializados para serem compreendidos. Desse modo, a facilidade de «postar» promoveu os blogs, de ferramenta de comunicação pessoal, para ferramenta de comunicação socializante, e mesmo social, penso que não há dúvidas. O Ponto Media será um caso. (Desculpem a extensão deste comentário).
28/03/2003 • 21:39:48 • 194.65.14.67

Nuno Centeio
Devo admitir que as primeiras vezes que li sobre esta "febre" dos weblogs fiquei espantado. É que no mundo da informática isto é um conceito que já existe há muito tempo. Daí a minha alusão à facilidade em "postar", como refere a Sandra Augusto França. Como paralelismo podemos dar o exemplo do próprio conceito de world wide web (não confundir com internet, são coisas diferentes). O formato html, ferramenta que disponibiliza documentos com hipertexto, ou seja, links para outros sítios (na sua definição mais básica não vos lembra nada em relação ao que define um blog?) os cientistas do CERN e outros laboratórios de física avançada necessitaram criar de raíz uma ferramenta que lhes fornecesse processos de publicação fáceis e rápidos. A partir daí, assistimos ao boom que todos conhecemos. Aos técnicos e engenheiros juntaram-se estudiosos de todas as áreas que evoluíram toda a web, humanizando-a como os "ratos de laboratório" nunca conseguiriam (códigos de profissão oblige...).
O conceito de weblog passou por um processo semelhante. As primeiras vezes que li a coluna do "Ponto Media" no Público fiquei intrigado, numa perspectiva técnica. Após a descoberta, fiquei desiludido na mesma perspectiva, mas animado com as potencialidades em termos humanísticos. Finalmente estava a observar sites com possibilidade de arquivo, datação, feedback, extremamente simples, e feitos por pessoas com poucos ou nenhuns conhecimentos de informática.
O aspecto que a Sandra aponta sobre o conceito de "log" em informática é bem exemplo de jargão típico de um administrador de sistemas. Passo então a inserir um exemplo clássico (não se assustem...):

Oct 31 04:05:01 unix.fghij.net syslogd:restart
Oct 31 04:05:02 unix.fghij.net named[112]: unapproved query
from [10.10.0.1].32768 for "loghost.local.net"
Oct 31 04:05:02 unix.fghij.net named[112]: unapproved
query from [10.10.0.1].32768 for "loghost.local.net"
Oct 31 04:05:42 unix.fghij.net printd[207]: send_job failed job 203
(lw_land@lw.fghij.net)check status
Oct 31 04:06:00 unix.fghij.net sendmail[14602]: EAA14602: from=ih_cron,
size=456, class=0, pri=30456, ...
Oct 31 04:06:01 unix.fghij.net sendmail[14604]: EAA14602: to=ih_cron,
delay=00:00:01, xdelay=00:00:00, ...
Oct 31 04:06:42 unix.fghij.net printd[207]: send_job failed job 203
(lw_land@lw.fghij.net) check status
Oct 31 04:07:42 unix.fghij.net printd[207]: send_job failed job 203
(lw_port@lw.jghij.net)check status

Isto é um "log" de um sistema UNIX (Solaris) onde vão sendo registadas e descriminadas as mensagens entre as várias aplicações que se vão ligando ao núcleo do sistema. Lá estão as datas, as horas, o autor (aplicação) e a acção descriminada. Agora é fácil fazer um paralelismo com um weblog, onde o termo web reafirma aquilo que mencionei há pouco da evolução do conceito WWW, e o conceito "log" salta à vista.
29/03/2003 • 00:41:46 • 212.113.164.100

Nuno Centeio
Peço desculpa por mais esta adenda. Concerteza que a maior (ou todos) os utilizadores de internet já se depararam com um login. Um "log" "in" não passa de uma autenticação, datada, devidamente registada, de um indivíduo em determinado computador. Serve isto apenas para ilustrar um melhor, talvez com um conceito técnico mais simples, a importância das datas(e horas) num "log" técnico.
29/03/2003 • 00:50:28 • 212.113.164.100

Pedro
Cá vai (in http://blogtalk.net):
What is a weblog? A weblog is a form and a format: a frequently updated website containing entries arranged in reverse-chronological order. But this simple form is infinitely malleable, and weblogs have huge potential for professional and private use. Easily maintained via computer or mobile devices, weblogs are organizing businesses, creating and strengthening social ties, filtering the World Wide Web, and providing a platform for ordinary people to publish their views to the world. (Rebecca Blood)
What is blogging? Blogging, as with any new (or in transition) concept, is difficult to define - it has not yet fully become what it will be. Here are some attempts to define blogging: www.elearnspace.org/Articles/blogging_part_1.htm#whatis
06/04/2003 • 23:26:49 • 194.65.14.67